Receitas, culinária e gastronomia, por Luciana Mastrorosa

Guloseima



A comida favorita 7

Posted on março 03, 2011 by Luciana Mastrorosa

Paris

Ando numa temática comfort food atualmente, comida de alma, aquilo que nos aquece e alimenta em vários sentidos. Por isso tenho me questionado quase que diariamente sobre nossos hábitos alimentares, as escolhas que fazemos diariamente. O que é que a gente come quando está com fome?

Tenho feito umas experiências malucas na cozinha. Nada muito cozinha molecular, longe disso. Apenas tento mudar os temperos e criar inúmeras variações sobre o tema. Arroz, por exemplo. Tenho em casa, geralmente, arroz branco, arroz integral (e suas variedades), arroz negro e arroz para risoto. No dia a dia, acabo optando pelo arroz integral, mas meu paladar fica rapidamente saturado se o ingrediente for preparado todo dia da mesma forma.

Então eu mudo. Cozinho com louro, com tomilho, frito na manteiga, ou no bacon, geralmente no azeite, que prefiro. Um campeão das variações tem sido arroz integral com cúrcuma, azeite e louro. Fica perfumado, e a especiaria dá um sabor menos sem graça para o arroz.

Verduras, a mesma coisa. Descobri que gosto mais de legumes e verduras do que de frutas, pasmem. Mas detesto legume molenga, refogado com óleo, cebola e alho. Então procuro salteá-los apenas com alho e azeite, um pouco de pimenta-do-reino para finalizar, e está tudo bem. Suco de limão espremido na hora também faz milagres!

O mesmo raciocínio vale para tudo: massas, carnes, ensopados. Misturo o que estiver à mão e parece combinar, e da cozinha surgem coisas como bolo salgado de escarola com alcaparras e aliche, espaguete com abóbora, bacon e sálvia (esta foi inspirada na capa da Menu), cubinhos de carne com cheiro-verde e cominho…

Enfim, mil pensamentos misturados cozinhando junto com a panela de sopa, de arroz, mexendo o risoto.

Tudo isso para perguntar: o que é que você come? Qual a sua comida favorita? A minha, definitiva, ainda não sei.

Caos doméstico 1

Posted on dezembro 20, 2010 by Luciana Mastrorosa

Considero que tenho algum talento para a cozinha, mas confesso: não sou uma boa dona-de-casa. Não sei limpar a casa a ponto de deixá-la “um brinco”, não consigo nunca decidir qual a quantidade correta de amaciante para lavar a roupa, e meus panos de pratos sempre têm manchinhas diversas, resultado do bravo trabalho que desempenham na minha cozinha diminuta.

Daí que hoje fui testar a máquina nova de lavar roupa, daquelas com uma portinha de vidro na frente. Bacana. Feliz, tarde bonita, fui lavar uns panos de prato para testar o aparelho.  Botei uns seis panos de prato, mais uns guardanapos, ajustei a quantidade de sabão e liguei a máquina, toda feliz. Enquanto isso, preparava o arroz integral que acompanharia um curry de camarões.

Entre um dente de alho picado e uma cebola fatiada, o caos acontece: espuma saindo da máquina. Por todos os lados. TODOS.

É claro que errei a mão no sabão. Enquanto tentava botar o arroz para cozinhar, juntei todos os panos de chão possíveis e sequei a cozinha, e mais água saía, e mais espuma, e mais bolhas, e o circo estava armado.

Tudo bem. Respira, respira.

Na panela, o arroz cozinha e cozinha. Arroz cateto integral, leva várias xícaras de água para ficar gordinho e ainda crocante, al dente, como dizem os italianos. Mas, com tanto tempo longe da cozinha, às vezes parece que perco a mão: é o mesmo fogão, a mesma cozinheira, as mesmas panelas, mas ainda assim o arroz teima em grudar, falta sal, algo inexplicável acontece.

Bateu um certo pânico. Mas, em meio ao caos doméstico mais puro e simples, começo a rir. Sozinha, feito uma louca, dou risada e espaireço: vai passar.

Tudo passa.

E, como diria Seven of Nine (momento nerd mode on), “I will adapt”. I am sure of it.

  • Livraria

    Pingado e Pão na Chapa

    Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã é meu primeiro livro de culinária e gastronomia. Nele, além de comentar as curiosidades sobre a primeira refeição do dia, também dou receitas saborosas para incrementar o café da manhã. Quer comprar? Vai aqui.

  • Arquivo Guloseima



↑ Top