Receitas, culinária e gastronomia, por Luciana Mastrorosa

Guloseima



Manias locais 0

Posted on abril 04, 2012 by tatibarros

Por Tatiana Barros

Este final de semana fui conhecer um local chamado Evergreen Brickworks. Para ser honesta, não entendo muito o conceito do Evergreen, ainda mais vindo de São Paulo. Mas vamos lá. Eles se consideram uma “Comunidade ambiental  em larga escala”, OPA!

Os canadenses são bastante protecionistas, tudo deve ser local e tudo tem que ser “green”.  Grandes marcas internacionais como Johnson & Johnson e Nabisco por exemplo, ganham nomes diferentes para uma identidade mais local aos produtos.

À primeira vista, o Evergreen Brickworks nada mais é do que uma fábrica de tijolos antiga transformada em um espaço para a comunidade passar o tempo e comprar produtos locais. Olhando um pouco mais de perto, Evergreen é uma caridade que incentiva as comunidades a criar ambientes sustentáveis em centros urbanos.

O Projeto Evergreen é tão “verde” que no website você só encontra instruções de como chegar a pé, de ônibus ou bicicleta. Eles promovem educação sobre o meio ambiente e como se tormar uma pessoa mais “green”, criando projetos sustentáveis em escolas, parques e comunidades por todo o Canadá.  Além desses programas, o projeto Evergreen também possui workshops, aulas de culinária e o famoso “Farmer’s Market”, onde fazendeiros da região se reúnem para vender produtos de suas fazendas, desde frutas e vegetais até carnes e queijos.

Em outra sessão fica o “Garden’s Market” com plantas nativas e importadas com produtos orgânicos, casinhas para animais, como pássaros, borboletas e afins e ferramentas para jardinagem.

Para completar, o Evergreen Brickworks conta com um restaurante do Chef Brad Long, uma celebridade em Toronto, com vários restaurantes espalhados pela cidade e inúmeros prêmios de culinária. Ele também participou de uma das temporadas de um programa de televisão chamado “Restaurant Makeover” no canal Food Network.

O Cafe Belong deixa um pouco a desejar em minha opinião. Com todas essas coisas no currículo, eu imaginava menus mais criativos. O lugar é gostoso e aconchegante e o atendimento é muito bom, mas a comida não apresenta nada de diferente. Se posso fazer alguma sugestão, recomendo explorar as comidinhas das barraquinhas presentes no Farmer’s Market.

Como fui visitar durante o inverno, as opções estavam limitadas, Na área do jardim, onde normalmente ficam várias barraquinhas com produtos variados e artistas locais animando o pessoal, havia uma pista de gelo para famílias se divertirem andando de patins. Além da pista de patinação, havia 2 pavilhões. No primeiro, ficavam os vendedores com todos os tipos de comida incluindo legumes e vegetais, frutas, grãos, pães, carnes e peixes. No segundo, ficava a área reservada para vendedores de comidinhas prontas para beliscar. Waffles, sanduíches, quesadillas, crepes, sopas e muito mais. O Cafe Belong fica nesse segundo pavilhão.

Para quem está em Toronto, recomendo o passeio. Um lugar agradável e diferente para começar o dia e ficar para o almoço.

Evergreen Brickworks
550 Bayview Avenue, Toronto, ON  M4W 3X8 Canada
Tel: 416-596-7670

De tudo um pouco num mercado canadense 0

Posted on fevereiro 15, 2012 by Luciana Mastrorosa

Por Tatiana Barros

Este final de semana fui conhecer a nova loja do Loblaws, o Loblaws 60 uma rede de supermercados de Toronto que pode ser comparada com a rede Pão de Açúcar em tamanho. Fui curiosa conhecer a nova loja porque ela fica no antigo Maple Leaf Gardens, o estádio oficial do Maple Leafs (time de Hockey de Toronto). Como vocês podem imaginar, o lugar é enorme e a transformação ficou maravilhosa.

Em minha humilde opinião, prefiro mil vezes um mercado gigantesco a uma arena de hockey . O Loblaws 60 conta com serviços, produtos e infra-instrutura diferenciadas. Esta é a única loja que eu conheço por aqui com tudo em um mesmo local – com qualidade excelente e preço acessível.

Aos sábados, logo na entrada do mercado fica uma banda tocando músicas pop, rock e funk (não o carioca!). A primeira visão do mercado é um pouco confusa, ele não é organizado como os mercados tradicionais, mas sim em “stations” – seções como doces, vegetais e frutas, frios, carnes, pães, até mesmo uma área especial para cogumelos e outra para produtos japoneses.

As stations do Loblaws 60, em Toronto

As stations do Loblaws 60, em Toronto

As duas coisas que mais me impressionaram nesta parte do mercado foi a área dos chás (que é uma das minhas bebidas favoritas), com produtos vindos diretamente da China e arredores, com alta qualidade, podendo custar até 700 dólares o quilo! A outra coisa foi a parede de queijo. Sim, queijos de todos os tipos, vindos de todas as partes do mundo, do chão ao teto! Além de interessante, faz um efeito visual super legal.

A variedade de chás e queijos impressionou nossa colunista

A variedade de chás e queijos impressionou nossa colunista

A área de doces merece destaque também: mesmo eu não sendo muito maluca por doces, quase estacionei meu carrinho permanentemente por lá. Doces de todos os tipos e variações e tudo feito lá mesmo.

Os doces incríveis são feitos por lá mesmo

Os doces incríveis são feitos por lá mesmo

Passando por toda esta área com as “stations”, aí sim temos as gôndolas normais com produtos gerais encontrados em qualquer mercado. Mas, entre uma e outra, encontramos produtos complementares, de utensílios domésticos a livros e revistas de receitas.

Existe também uma área com comida preparada na hora, onde podemos sentar e comer apreciando todas as cores deste mercado incrível. E finalmente, no segundo andar, funciona uma escola de culinária com cursos rápidos e eventos com chefs famosos.

Para quem vier visitar Toronto ou para quem já mora por aqui, recomendo ir passear no Loblaws 60. Consegui passar a tarde inteira lá me divertindo. Deixo abaixo as informações do mercado incluindo o website que foi criado especialmente para esta locação e conta com detalhes da loja, história do local e receitas deliciosas.

Loblaws 60
60 Carlton Street, Toronto, Ontario
416-593-6154
http://loblaws.ca/60carlton

Pato para as massas 0

Posted on fevereiro 01, 2012 by Luciana Mastrorosa

Por Tatiana Barros

Peito de pato no supermercado

Peito de pato no supermercado

Pato! Para mim, saborear esse tipo de ave é novidade. Sempre vi o preparo de carne de pato em programas de culinária e em restaurantes mais refinados, mas nunca pensei em pedir. Até que outro dia, passeando pelo mercado passei pela sessão de ovos, notei uma caixinha com ovos maiores que o normal. Fui ver de perto e eram… ovos de pato! Assim, ali, como se fosse algo natural da sessão de ovos.

Peguei uma caixinha e voltei para casa super curiosa. Pela embalagem, procurei o site da marca. É uma marca de Quebec, se chama Brome Lake Ducks.

Que idéia genial popularizar produtos derivados de pato! Eles têm ovos, carne, caldos, molhos, patês, linguiças e até gordura, tudo feito dessa ave.

Eu nunca havia experimentado ovos de pato antes e confesso que são deliciosos. O sabor é similar ao ovo comum de galinha, mas muito mais acentuado. Por ser maior, também demora um pouco mais para cozinhar.

Dessa primeira experiência, minha próxima aventura foi comprar peito de pato direto da sessão de carnes ao lado dos frangos. Ainda estou contente pelo acesso tão fácil a algo que antes só encontrava em açougues ou em lojas especializadas.

Para quem não conhece, a carne do pato também é saborosíssima e bastante nutritiva. A carne e os ovos de pato são ricos em vitaminas A, B12, C, ferro, cálcio e outros.

Deixo para vocês a minha versão do peito de pato. Espero que gostem!

PEITO DE PATO GRELHADO (MAGRET)

Ingredientes:
1 peito de pato (magret)
2 colheres (sopa) de vinagre de maçã
1 pitada de tomilho
1 colher (sopa) de mel
alho em pó a gosto
cebola em pó a gosto
azeite de oliva quanto baste
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Retire o peito de pato da geladeira 10 minutos antes de cozinhar. Com uma faca afiada, faça riscas sobre a pele, em padrão quadriculado, mas sem atingir a carne. Coloque o peito de pato em uma tigela, adicione o vinagre, o tomilho, o alho em pó, a cebola, o azeite, o sal, a pimenta e o mel. Esfregue bem essa mistura na carne e deixe marinar por 1 hora (meia hora de cada lado).

Magret com a pele quadriculada

Magret com a pele quadriculada

Depois do descanso, coloque o peito de pato, com o lado da pele para baixo, em uma frigideira pré-aquecida em fogo médio-alto por 2 minutos. Remova o excesso de gordura da panela e deixe selar por mais 2-3 minutos. Reduza o fogo para médio, e cozinhe por 6-7 minutos ou até que a temperatura interna chega a 63°C. O magret (como o peito de pato é chamado, em francês) é melhor quando servido ao ponto, ainda cor-de-rosa por dentro, mas bem tostadinho por fora.

Retire da panela e deixe descansar por 5 minutos. Depois, é só cortar o magret em fatias e servi-lo com o acompanhamento que preferir.

Magret grelhado, tostadinho

Magret grelhado, tostadinho por fora, rosado por dentro

Quem se aventurar a cozinhar algo com pato, mande notícias pra gente! Para mais receitas gostosas com carne de pato, confira o website da Brome Lake.

Até a semana que vem!

Criando novas tradições 1

Posted on janeiro 18, 2012 by Luciana Mastrorosa

por Tatiana Barros

Hoje vou falar um pouco sobre as tradições que vejo por aqui e uma maneira gostosa e criativa de entrar na dança.

Eu acreditava que o feriado de Thanksgiving – Dia de Ação de Graças – fosse uma tradição americana e não canadense. Mas descobri que, na verdade, esta é uma tradição antiga europeia para celebrar e agradecer por colheitas fartas. No Canadá, a celebração ocorre todo ano em outubro, enquanto os americanos o fazem em novembro. Conta a história que, quando um explorador inglês chegou à Newfoundland em 1578, ele quis agradecer pela chegada em segurança ao novo continente e celebrou o primeiro Thanksgiving no continente americano, 43 anos antes dos peregrinos em Plymouth, Massachusetts (nos EUA).

Ano passado, eu e um amigo resolvemos reinventar as comidas típicas do feriado, como o tradicional peru recheado e o gravy, molho feito com os ossos do bicho, legumes e vegetais, e a famosa torta de abóbora. Inspirados pela tradição, resolvemos criar nosso próprio cardápio: lasanha de peru com legumes e uma torta-bolo de pera e banana.

Peço desculpas desde já pois não vou passar medidas exatas nas receitas. Geralmente faço tudo a olho. Esta receita não depende da precisão das medidas para ficar gostosa então fique tranquilo, tudo dará certo!

Recomendo começar pela torta-bolo, assim pode deixá-la esfriar enquanto prepara a lasanha.

Eu não sei se o conceito de torta-bolo já existe, mas o que queríamos era um bolo com a casquinha da torta. É simples e delicioso! O bolo pode ter qualquer sabor e vocês podem escolher quaisquer frutas. Passarei a receita com os ingredientes que escolhemos. Eu queria que nossa sobremesa fosse colorida, então usamos corantes para alimentos.

TORTA-BOLO DE PERA E BANANA
Nota: Usamos massa para torta e mistura para bolos prontos. Se quiserem, podem fazer ambos do zero, claro.

Os ingredientes da torta-bolo de pera e banana

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ingredientes:
1 mistura para bolo sabor baunilha
3 peras
3 bananas
1 massa pronta para tortas
corantes variados para alimentos

Modo de preparo:
Prepare a massa de bolo de acordo com as instruções do fabricante e divida a massa em 4 partes. Reserve. Corte as frutas em cubinhos. Misture 1 corante de cada cor em cada tigela e adicione um pouco das frutas. Coloque a massa pronta para tortas em 2 formas médias e cubra-as com a mistura para bolos, intercalando as cores para dar um efeito divertido. Asse-as em forno médio, de acordo com as instruções do fabricante. Retire as tortas-bolos do forno e deixe esfriar.

Ceia de Thanksgiving completa, com lasanha de peru e torta-bolo colorida de pera e bananas

E agora, a lasanha:

LASANHA DE PERU

Os ingredientes da lasanha de peru

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ingredientes:
massa para lasanha quanto baste
carne de peru moída (pode ser substituída por qualquer outro tipo de carne moída)
bacon, alho e cebola a gosto
sal a gosto
tomates, cenouras, cogumelos e mussarela quanto bastem para formar as camadas
molho gravy comprado pronto (é difícil de achar no Brasil; pode substituir por mais molho de tomate ou arriscar fazer um gravy como este aqui – receita em inglês)
água quanto baste
azeite de oliva quanto baste

Modo de preparo:
Cozinhe a massa para lasanha em água fervente até ficar macia. Escorra-a e reserve. Cozinhe também a cenoura (eu gosto de cozinhar no vapor). Reserve. Frite a carne com um pouco de azeite, numa frigideira grande, em fogo médio. Reserve a carne e use a mesma frigideira para fritar os cubos de bacon. Retire a gordura deixada pelo bacon na frigideira e adicione os cogumelos. Cozinhe-os em fogo baixo, até ficarem macios. Reserve. Em uma panela, refogue a cebola e o alho picadinhos em um pouco de azeite e em seguida adicione a carne, o bacon e o tomate picado. Se necessário, junte 1 colher (chá) de mel ou açúcar para quebrar a acidez do tomate. Quando o tomate estiver cozido, adicione a cenoura e o cogumelo, misture tudo e tire do fogo. Em uma forma grande, coloque a primeira camada de massa de lasanha, cubra com uma camada de carne, seguida pelo gravy e cubra com a mussarela. Repita até encher a forma ou acabarem os ingredientes. Coloque para assar em forno preaquecido a 180⁰C para gratinar, verifique de 10 em 10 minutos para ter certeza de que não passará do ponto.

A montagem da lasanha de peru

Espero que gostem, deixo vocês com algumas fotos do resultado final do nosso Thanksgiving diferente. Até a semana que vem!

Nova colunista, direto do Canadá 9

Posted on janeiro 11, 2012 by Luciana Mastrorosa

Para estrear essa nova fase do Guloseima, convidei uma amiga querida para dividir com a gente algumas aventuras gastronômicas direto de sua nova morada: Toronto, no Canadá. A primeira coluna da Tatiana Barros estreia hoje, com muito orgulho! Espero que gostem, sugiram temas e se divirtam muito com as histórias da Tati. Benvinda, Tatinha! :)

Biscoitinhos para quebrar o gelo!

por Tatiana Barros

Fachada da loja de Mary MacLeod's Shortbread, em Toronto, no Canadá

Fachada da loja de Mary Macleod's Shortbread, em Toronto, no Canadá

Olá! É com muito prazer que começo a escrever para o Guloseima!

Antes de deixar todos com vontade de comer coisas gostosas, gostaria de me apresentar: me chamo Tatiana e a partir de hoje estarei com vocês para dividir as delícias do Canadá, diretamente de Toronto. Nascida e criada em São Paulo, sou grande apreciadora de comidas gostosas e diferentes e é isso que busco aqui no Canadá. Espero que gostem!

Hoje vou falar sobre um lugar que descobri há alguns meses. Eles vendem apenas “shortbread”, que nós conhecemos como amanteigados, aqueles biscoitinhos que só de olhar já ganhamos uns três quilos. O nome do lugar é Mary Macleod’s Shortbread e fica na Queen Street, em Toronto. Apesar de existirem desde 1981 e serem conhecidos mundialmente, esta é a única loja deles. A filosofia da empresa diz que os produtos devem estar sempre fresquinhos (e sempre estão) e por isso produzem apenas pequenos lotes por vez.

A loja é pequenininha e aconchegante e o cheiro dos biscoitos produzidos logo atrás do balcão deixa qualquer um maluco. O atendimento também é diferenciado e pessoal. A pessoa que me atendeu fez questão de explicar todos os sabores e até ofereceu alguns para eu experimentar.

Mary Macleod, nascida na Escócia, veio para o Canadá há mais de 30 anos e conta que a receita inicial de seus biscoitinhos era de sua avó francesa. E a receita é constantemente aperfeiçoada. Os ingredientes são todos locais, sempre puros e frescos. Além da receita tradicional, eles produzem mais oito sabores. Dentre eles, misturas como chocolate e laranja, chocolate e avelã e café com chocolate branco. Outro ponto alto dos biscoitinhos são as opções crocantes. Pedacinhos de chocolate crocante são adicionados à massa e a textura é completamente diferente de tudo que já experimentei. Algumas das opções:

Shortbreads da Mary MacLeod's

Os vários sabores de shortbreads da Mary Macleod

Toronto, assim como todo o Canadá, é um lugar multicultural e cheio de comidas deliciosas, de lugares puramente tradicionais àqueles que fazem uma releitura das diferentes culturas e tendências. Será um prazer trazer isso para vocês aqui no Guloseima!

Deixo aqui os detalhes da loja e a receita original da Mary para poderem matar a vontade em casa. Caso estejam passeando por esses lados, não deixem de passar por lá!

Mary Macleod’s Shortbread
639 Queen Street East, Toronto, Ontario
(416) 461-4576
http://www.marymacleod.ca

*

BISCOITINHOS AMANTEIGADOS (SHORTBREAD)
receita original da Mary Macleod

ingredientes:
1 ¼ xícara (chá) de manteiga (225 gr)
2/3 de xícara (chá) de açúcar de confeiteiro (85 gr)
2 colheres (sopa) de frutose
¼ de xícara (chá) de farinha de trigo durum (55 gr)
2 ½ xícaras (chá) de farinha de trigo comum, usada em bolos (340 gr)

Modo de preparo:
Pese todos os ingredientes em tigelas diferentes, com a manteiga na tigela da mistura principal. Misture a manteiga, o açúcar de confeiteiro, a frutose e a farinha de trigo durum, até obter um branco pálido.
Acrescente a farinha comum gradualmente, trabalhando a mistura com as mãos até obter uma massa suave e flexível. Às vezes não é necessário usar toda a farinha. A massa está boa quando parar de grudar nas mãos. Transfira a massa do shortbread para uma tábua de madeira ou polietileno e amasse-a por alguns minutos, até ficar flexível. Corte os amanteigados da maneira que preferir e coloque-os em uma assadeira para biscoitos. Asse-os em forno baixo, a 120°C, por 30 minutos. Gire a forma e asse-os por mais 30 minutos, até dourar. Retire-os do forno, deixe esfriar bem e guarde num pote limpo, com tampa.

  • Livraria

    Pingado e Pão na Chapa

    Pingado e Pão na Chapa - Histórias e Receitas de Café da Manhã é meu primeiro livro de culinária e gastronomia. Nele, além de comentar as curiosidades sobre a primeira refeição do dia, também dou receitas saborosas para incrementar o café da manhã. Quer comprar? Vai aqui.

  • Arquivo Guloseima



↑ Top